Sistemas de Proteção Passiva Contra Incêndios na Renovação e Ampliação do Aeroporto de Faro

Sistemas de Proteção Passiva Contra Incêndios na Renovação e Ampliação do Aeroporto de Faro

Com conclusão prevista para a primavera de 2017, as obras de renovação e ampliação do terminal do aeroporto de Faro estão a ser dotadas de sistemas de Proteção Passiva Contra Incêndios instalados pela TRIA.

Portas e cortinas automáticas resistentes ao fogo, proteção ao fogo de elementos estruturais metálicos e selagens corta-fogo são alguns dos sistemas que a TRIA está a instalar e que visam melhorar as condições de segurança contra incêndios daquela infraestrutura aeroportuária.

A experiência em estruturas de grande complexidade como o Aeroporto Humberto Delgado e o Aeroporto Francisco Sá Carneiro foi decisiva para o processo de escolha que atribuiu à TRIA o novo desafio de dotar de sistemas de proteção passiva contra incêndios o Aeroporto de Faro.

Recorde-se que, de acordo com a informação publicada no site da ANA, depois concluídas as obras de renovação e ampliação, o Aeroporto de Faro terá capacidade para passar dos atuais 22 estacionamentos de aeronaves para 33, aumentar a capacidade de processar 24 voos e 2400 passageiros por hora para 30 voos e 3000 passageiros por hora. Em 2016 o Aeroporto de Faro bateu o recorde de passageiros que foi de sete milhões num ano, tendo como objetivo, em termos anuais, passar para os 8 milhões de passageiros.

 

20160927 121816
Aeroporto Faro